quinta-feira, 25 de março de 2010

Fragmentos da Minha Escrita...



Os dias tornam mais funda a nossa sede,
Austero é o fogo destes dois rostos que se procuram na mais febril aproximação real…
Queria poder dizer milhares de vezes todas as palavras que pudessem expressar o que sinto.

Nunca as digo!... Nunca as faço!... Fico sempre à espera….

Atendo meramente ao pronunciar das palavras nos fragmentos da minha escrita…
Secretamente rezo...
Rezo para que me leias, me entendas, me abraces. Me invadas.

Escrever num grito mudo de amor?

COBARDE!... Cobarde menina mulher!… Cobarde menina do sonho!...
Cobarde porque, tenho medo da intensidade do laço que me une...
Cobarde porque considero que um dia esquecerás a queimadura dos gestos,
A pressão invisível das minhas mãos sobre teu dorso,
As cúmplices noites de fraternidade amante!...

"Apetece chorar de tanta saudade’’... A alma descontrola-se!...

O receio de começar a usar a cor da utopia que esteja a criar,
Não consigo abstrair! Não consigo enganar! Não consigo explicar!
O receio habita que o sonho não passe de uma hipérbole na qual quero acreditar!
Que na realidade, o sentimento não passe de rascunho...

Hoje a minha escrita queima...
Hoje fragmentos juntam-se... ´
Hoje?... Fragmentos são impossíveis de concluir!
São sementes que crescem a cada conversa para comigo!
São instintos que me mantêm viva...

O desejo da pele... Ganância de poder-te amar!
Não confundo, desejo!...
Não quero gritar, gemo!...
Não quero ir, entrego-me!...

Quero estar aqui, quando chegares!...


(P.S.: Não conclui, porque não o devo fazer... Sou incapaz de o fazer!... Este ‘’fragmentos da minha escrita’’ são pedaços de mim que não concluem, são sentimentos em aberto, são feridas rachadas a sangrar... são frases que estão por dizer!... São uma escrita que quero continuar!...)

DIANA VELOSO

10 comentários:

Snyder disse...

If I want to say MILUJE?
Sempre na evolução a "minha" Menina do Sonho.São milhões de sentimentos em pura erupção nas tuas frases.Porquê tanta incerteza?
Agora vejamos :
"COBARDE"...isso não és de certeza, talvez possas ser um pouco receosa, mas cobarde de jeito nenhum, "CHORAR" será que alguém merece alguma lágrima derramada por ti...?

hope for more

o_O

Anónimo disse...

Sou a menina do sonho ? Miluje te ?
''Minha''?...

Leitor assiduo que comenta, remember ''i am the wild butterfly''

Diana veloso

jp disse...

ola dianinha..e mais um texto magnifico..ah e vela se u acabas..lol abraço JP

Pedro disse...

o querer, o desejar, o sentir o sangue a correr-nos, o calor a evadir-nos.. sim, também o desejo muito, mas tenho medo.. tanto medo que torna praticamente impossivel acreditar de que isso é possivel...O escudo, as armas.. a necessidade de ter que se proteger de algo de deveria ser tão belo e puro.. o amor.. o dizer, MILUJE.. também quero, tanto que ate tenho medo de o sentir.. Será possivel acreditar ?? Será possivel abdicar do escudo, das armas ?? era tudo tao simples.. digo eu !!

DIANA VELOSO disse...

Escudo, objecto que uso, invisível guerreiro que me protege,retrato vivo, um espaço em movimento repleto de sensações visuais e auditivas, onde posso vislumbrar os passos de uma dança na minha própria mente e onde, na alma estão gravadas todas as músicas que cantei!...=)

Filtro que selecciona os que sentem dos que simplesmente vivem :D

Snyder disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Snyder disse...

Espero que o meu anterior comentário não tenha sido mal interpretado..
Talvez o meu "checo" não seja do melhor...
Quanto ao "minha" já debatemos esse ponto anteriormente.
"Menina do sonho", penso que és sempre a menina do teu mundo...
Agora sobre a borboleta selvagem, sim lembro-me, e espero que nunca te tirem as "ASAS", e tu lembras-te da borboleta doméstica ??

o_O

DIANA VELOSO disse...

O checo nem sequer apareceu!...
Primeiro, lembro sim de te dizer que me designo por ''borboleta selvagem''...
Agora queria acrescentar que o domesticar não é sinónimo de falta de liberdade!...
É possível sim, ser domesticada e continuar a bater as minhas asas em direcção à minha felicidade!

''o sonho comanda a vida''=)

Nadabrovitshka disse...

Sem barreiras na maneira de pensar, que as palavras são pontes a atravessar...

DIANA VELOSO disse...

Concordo quando dizes que não existem barreiras quando escrevo=)

Mas quando afirmas que ''as palavras são pontes para atravessar''... Nao concordo na totalidade!!!

As palavras são suspiros de alma que tenho... não são necessariamente ''pontes'' para serem atravessadas...pois se desse tipo de construções se trata-se a maioria podia caminhar sobre elas... o q nao acontece!...

A maioria pensa q entende, a maioria pensa que caminha sobre ela...mas no fundo nunca sabem o motivo que realmente me levou a escrever!!!!